2015: Novo crescimento

Grupo Socomec

 

croissance-2015.jpg

Crescimento
  Volume de negócios (M€)
  Força de trabalho

 

 

ebit-2015.jpg

Resultado operacional (EBIT)
  Em M€
  Em % do volume de negócios

 

 

financement-2015.jpg

Financiamento da empresa
  
Capitais próprios (M€)
  % de dívida sobre o capital próprio

 

Novo momento

Em 2015, a descida dos preços do petróleo e as políticas monetárias muito restritivas não foram suficientes para melhorar o crescimento económico mundial, que registou uma ligeira contração em comparação com 2014 (3,0% em vez de 3,3%). A volatilidade dos mercados monetários fez-se sentir, enquanto os reajustes económicos a favor dos países desenvolvidos prosseguiram.
A principal fonte de preocupação relativamente ao ano foi o abrandamento verificado na China, que afetou muitas economias emergentes.
Os EUA, com um PIB de 2,5%, continuaram a impulsionar a atividade comercial global, ao passo que a Europa registou um novo crescimento de 1,5%, que, embora moderado, foi consistente. O crescimento da economia em França também registou um ligeiro crescimento de 1,1%.
Neste contexto, a SOCOMEC registou o melhor desempenho de sempre com um volume de vendas de 467 M€, até 9% (+40 M€) claramente ajudado pelas taxas de câmbio favoráveis.
Geograficamente, as nossas atividades comerciais registaram um acréscimo de 5% na Europa, de 12% em África e no Médio Oriente, de 14% na Ásia e de 56% na América do Norte. A Europa foi liderada pelo Reino Unido (+20%) devido aos efeitos da taxa de câmbio e pela Alemanha (+16%); por outro lado, França registou um progresso ligeiramente reduzido (+1%). O Médio Oriente e África estão novamente no percurso do crescimento após o declínio do ano passado, mas o contexto geopolítico é complexo. A Ásia foi a mais beneficiada pelas taxas de câmbio favoráveis em 2015. Por fim, a recuperação do volume de negócios na América do Norte reflete a força do maior mercado do mundo e os esforços do Grupo para o reforçar.
Relativamente às nossas linhas de negócios, a Critical Power Conversion, que agora inclui o segmento de negócios Solar Power, progrediu 9% com a recuperação da venda de produtos (+8%) especialmente nas regiões da Europa do Norte e Ásia- Pacífico, sendo que a vertente Services registou um aumento de 13%. A linha Power Control & Safety registou um crescimento de 13% com sucessos comerciais na América do Norte (+53%). Por fim, a linha Energy Efficiency aumentou 5%, sobretudo na Europa e na China.
A relevância das medidas adotadas em 2014 e prosseguidas em 2015 foi reforçada.
Para além disso, as alavancas de crescimento externo, insuficientemente utilizadas durante vários anos, foram impulsionadas com a aquisição de um distribuidor Suíço no final de 2015. Esta tendência será intensificada em 2016, tendo sido já efetuadas novas aquisições.

Uma posição financeira cada vez mais sólida

Na nota financeira do ano passado, comunicámos que se a recuperação económica emergente fosse sustentada, "a rentabilidade operacional deveria ser sensivelmente restaurada". Isto é de facto o que se pode observar em 2015, com um crescimento de 13% do nosso resultado operacional (EBIT), excluindo os efeitos das taxas de câmbio (e de 38% com as taxas de câmbio!). Isso coloca o EBIT a 8,5% do volume de vendas em comparação com 6,7% em 2014. Os capitais próprios da SOCOMEC, incluindo participações minoritárias, ascenderam a 189 M€ e um excedente líquido de 51 M€ em 31 de dezembro de 2015.

 

Otimismo contínuo e confiança para o futuro

Os resultados de 2015 confirmam as iniciativas levadas a cabo desde 2013. O plano de "Desempenho 2015" demonstrou a sua eficácia e foi lançado um plano de "Desempenho 2016". As nossas orientações estratégicas estão alinhadas em 4 prioridades principais: crescimento rentável (com um EBIT alvo superior a 8%), reforço das nossas organizações, melhoria da produtividade e investimentos no futuro. Apesar de ainda existir um caminho a percorrer para aumentar a rentabilidade da SOCOMEC até níveis próximos dos nossos principais concorrentes, não há dúvida que a empresa tem de facto recursos para o fazer.